22 de setembro de 2009

MEMÓRIAS DA BARDINAGEM 04


Aqui ficam neste post mais algumas memórias referentes a séries de televisão que me marcaram de forma profunda, e penso que não só a mim, claro, durante a minha juventude em Paço de Arcos.


O Santo com o elegante Roger Moore foi um clássico durante largos tempos
na nossa tv.
E como ele dava cabo do "canastro" aos vilões
que lhe apareciam pela frente!!!


video



Perry Mason, o famoso advogado que resolvia todos os casos
num abrir e fechar de olhos, sempre com a ajuda da sua
fiel secretária e do seu detective particular!!!


video



E o "Fugitivo" que desde o primeiro episódio anda a fugir
de tudo e de todos, até hoje, e que ainda não foi apanhado,
pois ainda outro dia o vi na televisão
e ele continuava a fugir!!!

video



Brevemente haverá mais recordações que marcaram a minha juventude e que me relaciona com a minha vivência em Paço de Arcos.



Colaboração do Bardino Vitor Martinez.



MEMÓRIAS DA BARDINAGEM 03


Voltando às minhas recordações, aqui vão mais algumas directamente ligadas a programas de televisão que naquele tempo nos marcaram a todos e não só a mim, julgo eu, e que me remetem para os serões passados naquele 2º andar da Rua José Oliveira Raposo, aqui em Paço de Arcos.

Era ali, à volta do aparelho de televisão, que nos reuníamos com a família e os amigos para apreciar com toda a atenção e emoção aqueles programas e aquelas séries que ainda hoje recordamos com muita saudade.

Aqui vão alguns exemplos daqueles tempos que me remetem, a mim pessoalmente, para a minha infância e juventude passadas na nossa vila.


Quem não se lembra da Lassie, aquela cadela que resolvia com maior ou menor dificuldade os problemas da família com quem vivia e que normalmente terminava sempre os seus episódios de forma a deixar-nos emocionados e comovidos.

video


E do Rin-Tin-Tin, quem não se lembra, também ele a resolver aquilo que os homens não conseguiam resolver!!!

video


Lone Ranger, o justiceiro de máscara, qual Zorro, em que só a música já nos punha a nós, putos na altura, aos pulos na cadeira!!!

video


E o Mister Ed, o cavalo que falava, e que com a sua sapiência, (era esperto cómó caraças!!!) nos deixava deliciados, principalmente pela novidade de ver e ouvir um cavalo a falar como nós!!!

video



No próximo post poderão ver outras séries que nos "grudavam" ao televisor até ao genérico final!!!


Colaboração do Bardino Vitor Martinez.



21 de setembro de 2009

OS BARDINOS - QUEM SOMOS!

Embora com algum atraso, aqui vão os texto de apresentação das mais recentes aquisições da bardinagem.


Carlos Fernandes Santos André

O Carlos André dispensa apresentações. Já "tocou" quase todos os "instrumentos" na terra, em termos de actividade social/política. Não pede meças a ninguém. É insuperável. O Grupo Tertúlico “Os Bardinos” ficou muito enriquecido com a sua adesão. Foi uma contratação de peso para dar a volta à Vila. Quiçá.


Carlos Evaristo Rodrigues Neves

O Carlos Neves faz parte da "mobília" Paço-arquense. No seu tempo foi grande desportista, ajudando a elevar o nome do CDPA. Tem actualmente actividade muito meritória com destaque para a AHBVPA. Quando se fala de Oceania, ícone de Paço de Arcos, o seu nome imediatamente nos vem à memória. Será o elemento mais popular da família que fundou e a ainda gere.


António Manuel de Almeida e Castro

É mais um "peso pesado", igualmente figura emblemática desta Vila. O Castro, como todos o conhecemos, será das figuras mais simpáticas da terra. Nos seus tempos de menino foi (quis ser) toureiro, piloto, atleta, político, escritor, etc. Alma grande, não se lhe pode negar. Dá ao grupo uma visibilidade mais "terrena".



SURF EM PAÇO DE ARCOS


Em primeiro lugar quero esclarecer que não percebo, rigorosamente nada do assunto.

Por simples curiosidade, até porque parece ser uma actividade desportiva em explosão, com inúmeros novos adeptos, detive-me a ler coisas várias sobre o assunto.

Gente nova, por definição (que me desculpem os menos novos), "explicou-me" alguns fundamentos, até então um completo mistério para mim, por exemplo, como raio conseguiam atribuir pontuações classificativas objectivas.

Depois de me deter em uns quantos escritos, opiniões, pareceres (mais ou menos doutos), resolvi procurar ilustrações que completassem a minha aprendizagem. Busca incessante, que (quase) não me deu novas pistas nem visão mais clarividente.

Mas uma coisa me tirou da "obscuridade" em que me senti afundar. Tão entusiasmado fiquei que nem me ocorreu ao "bestunto" apontar sítio, nomes ou outros indicadores. É que alguém, supostamente muito competente, um verdadeiro "Expert" na matéria (aparentemente; pelo menos será um campeão), escreveu e ilustrou em local da especialidade e para especialistas, que em Paço de Arcos se podiam encontrar algumas das ondas mais bem "construídas" jamais avistadas. Daquelas que permitem abordagem técnica competente e apreciação classificativa facilitada.

Pensando ter encontrado outra "benfeitoria" de vulto para Paço de Arcos, preparei esta "mostra" para aqueles que resolvam aceder ao nosso Blog.

Tenho esperança que alguém entendido neste desporto possa comentar este meu arrazoado.

Depois de o "tio" Isaltino nos ter classificado como a "Vila mais charmosa do País", e de termos sido classificados em prospecto da Junta de Freguesia de Paço de Arcos como a "Vila mais perfumada do País", só nos resta sermos a "Vila mais bem ondulada do planeta".

Nas fotos que se vêm a seguir, todas as ondas têm designações técnicas específicas diferenciadas (que eu não me atrevi a reproduzir), mas que implicam abordagens e desempenhos bem diferentes e catalogados; acreditem se quiserem; eu já acredito.










Colaboração do Bardino Fernando Reigosa.


PASSEIO MARÍTIMO


A minha avó diria que isto é ‘bater no ceguinho’. Frase dela, mas a verdade é que não como não insistir.

Pode-se ver nas fotografias abaixo, a vergonha que é numa obra que tem todas as pretensões conhecidas e que, de facto, é simpaticamente meritória e altamente vantajosa para as populações que dela usufruem, continuar a mostrar a quem lá passa estes magníficos postais.



Haja decoro. Não há-de ser obra cara alindar aqueles frontispícios. Não querem assumir encargos? Conversem, negoceiem, entendam-se, ou será preciso pedir a intervenção de alguma entidade superior.



É que isso, suspeito bem, seria ainda pior.
À falta de melhor façam um peditório Nacional. De qualquer modo o povo é que paga sempre. Duma maneira ou doutra.

E dizem-se políticos (iluminados, na sua versão que me recuso a qualificar).



Para adoçar esta prosa, vem a última foto que ilustra, depois de longas sessões de choradeira colectiva, a colocação dum sanitário. Hã, oh Vitor, esta foi suada. O custo? Dez cêntimos. Perfeito tendo em conta a limpeza e desinfecção automáticas.
Alguma coisa boa.




Colaboração do Bardino Fernando Reigosa.



MARGINAL SEM CARROS


Mais um ano cumprido nesta muito boa iniciativa da "marginal sem carros".

Este ano registaram-se algumas alterações relativamente aos anos anteriores;

- uma menor comparência populacional, que poderá ser explicada pela existência, e enorme aderência, ás "mordomias" do "Passeio Marítimo";

- menor quantidade de animações;

- infeliz (?) coincidência com a "Feira de Velharias" de Paço de Arcos, causando, também, confusões desnecessárias nas áreas coincidentes e próximas;

- o fenómeno da campanha eleitoral, que apenas foi aproveitado pelo movimento pró-Isaltino.



Ainda assim foi uma magnífica manifestação de descontracção física, como habitual, este ano com o senão, pessoal e de Grupo, de não ter avistado um único Bardino.

Já no final da caminhada pude avistar o companheiro Bardino “Nicha” da Silva, com a sua "Teresa mais-que-tudo", ambos com ar de absoluta necessidade de se dessendentarem, junto à praia de Santo Amaro de Oeiras, imaginem lá, olhando "esbugalhadamente" para a esplanada do Saisa onde tencionavam satisfazer as suas necessidades básicas momentâneas.



Em conclusão, continua a ser uma iniciativa francamente meritória, que talvez possa ser melhor ajustada em próximas oportunidades.

E mais não digo. Para já.





Colaboração do Bardino Fernando Reigosa.

20 de setembro de 2009

PAÇO DE ARCOS VISTO POR PASSAPORTE 06


Terminamos aqui a nossa pequena homenagem ao grande fotógrafo que foi António Passaporte.

A sua abordagem sobre a nosso vila traz à nossa memória as imagens que todos nós retemos de um Paço de Arcos quando éramos menino e moços, e ajudam-nos a ver as diferenças entre aquele tempo e o tempo actual.

É com alguma saudade e até às vezes com uma lágrima ao canto do olho, que hoje vimos estas imagens, que nos trazem à memória tantos episódios e acontecimentos, mais ou menos divertidos, que se passaram naqueles anos!!!

As imagens aqui mostradas só foram possíveis pelo acesso que tivemos ao já citado livro"O OLHAR DE ANTÓNIO PASSAPORTE", que reputamos de imprescindível para um conhecimento mais exacto da história da nossa vila e do concelho de Oeiras.

Dado o grande interesse que este livro tem, deixamos aqui as informações possíveis para a sua obtenção junto dos serviços respectivos da CMO, para quem estiver interessado em o adquirir.

O livro tem, além da biografia de António Passaporte, reprodução de fotos dos arquivo do fotógrafo que são pertença da CMO e que nos remetem para as localidades de Oeiras, Caxias e Algés, além de Paço de Arcos.

O livro incluí também um CD-ROM com uma visita virtual pela vida e obra de António Passaporte aqui referidas.

Este livro foi o catálogo de uma exposição efectuada pela CMO no Lagar de Azeite, em Dezembro de 2004.


Ficha Técnica:

1ª Edição, Dezembro de 2004
Edição Câmara Municipal de Oeiras 2004
DASC/DCT - Sector de Acção Cultural
ISBN 989-608-006-2
Depósito Legal 220320/04




Colaboração do Bardino Vitor Martinez



PAÇO DE ARCOS VISTO POR PASSAPORTE 05

ANOS 50 DO SÉC. XX (3)
Fotografias de Paço de Arcos tiradas por António Passaporte durante os anos cinquenta do séc. XX.

A PRAIA NOVA

(Clique 2 vezes sobre as fotos para as ampliar)

A praia à hora do banho.


Praia das Fontaínhas.


Pormenor da praia Nova e balneário.


Praia das Fontaínhas


Praia das Fontaínhas.


Um trecho da praia nova (antiga praia das Fontaínhas).


Praia das Fontaínhas.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.


Praia das Fontaínhas, banhistas à beira-mar.




Colaboração do Bardino Vitor Martinez
.




PAÇO DE ARCOS VISTO POR PASSAPORTE 04

ANOS 50 DO SÉC. XX (2)
Fotografias de Paço de Arcos tiradas por António Passaporte durante os anos cinquenta do séc. XX.

O JARDIM, A DOCA E A PRAIA

(Clique 2 vezes sobre as fotos para as ampliar.)

Vista parcial do jardim Marquês de Pombal.


O pavilhão do jardim Marquês de Pombal.


Jardim Marquês de Pombal.


Avenida Marquês de Pombal e monumento ao Patrão Joaquim Lopes.


Entrada da doca e Forte do Bugio, ao fundo.


Doca e clube náutico.


Doca e barcos à vela.


Praia das Fontaínhas.


Praia das Fontaínhas.


Estrada marginal e praia das Fontaínhas.


Estrada marginal junto à praia das Fontaínhas.


Estrada marginal e esplanada da praia Nova.


Praia das Fontaínhas.


Um pormenor da praia Nova.


Praia das Fontaínhas.


A praia Nova (antiga praia das Fontaínhas) vista do paredão.


Praia das Fontaínhas.


Praia das Fontaínhas.


Praia das Fontaínhas.


Praia das Fontaínhas.




Colaboração do Bardino Vitor Martinez.